sábado, 10 de julho de 2010

Recado

Meu recado
Meu afago
Em pequeninas linhas
Em doces entrelinhas
Em breves letrinhas
Como rendas revoltas
Que finges não tocar
Que finges não querer ver
Meu recado
Meu pecado
Meu bem
Dentro de mim guardado
Meu recado
Por tuas mãos
Agora,espicaçado
Não aguças teus olhos
Não me vês a teu lado
Não te comoves
Cada pedaço
É meu coração rasgado
Minhas palavras sem recato
Voam como pássaros pálidos
Levadas pelas asas do vento
Num viés de um destino incerto
Dormem no teu céu de remorsos
Reticentes,ainda que assim
Vingam-te,perdidas em teu rastro
Meu recado fatigado,
Por não saber
Calar teu nome.....
 
 Vilma Belfort 
 
 

Um comentário:

  1. Lindo!... Obrigado por ser esta pessoa tão especial! Um beijo

    ResponderExcluir