quinta-feira, 27 de maio de 2010

Operária do Jardim


Trabalha no jardim,
Ai de mim! Ai de mim!
Trabalha sem pensar,
Sem parar, sem descansar.

Pára para se alimentar,
Mas não pode demorar.
Volta logo para o jardim,
Ai de mim! Ai de mim!

Está é sua sina.
-Que vida! Que rotina!
Como é grande esse jardim,
Ai de mim! Ai de mim!

Vive a Coletar,
-Quanto trabalho! Preciso trabalhar!
Ainda falta um pedaço do jardim,
Ai de mim! Ai de mim!

Ouve de uma colméia:
Zum! Zum! – Onomatopéia!
De uma abelha de jardim,
Ai de mim! Ai de mim!

(Publicado na Coletânea "Usina das letras 10 anos". Lançado na Bienal do Livro de 2009)

7 comentários:

  1. Muito lindo!Assim possemos saber quem ainda há pessoas que se enteressam em cultivar,passar cultura.Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Adoreii..... Que fofoooo!!!
    Fábio é lindo, maravilhoso, talentoso... amo sua obra...

    ResponderExcluir
  3. Um texto esplendido, com rimas perfeitamente expostas. Fabio admiro muito o seu jeito tão único de escrever, parabéns... Continue sempre a nos emocionar com os seus belíssimos textos!!! Um abraço...Edinan Almeida

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Fábio!
    Muito linda sua poesia!

    ResponderExcluir
  5. essa poesia é lindaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pelo carinho...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Um de seus mais encantadores poemas,beijo no coração!Vilma Belfort.

    ResponderExcluir