sábado, 26 de junho de 2010

Quando fito nos teus olhos...


Quando fito nos teus olhos
Vejo como são indiferentes aos meus
Sinto o sal caindo em minha alma
Por toda saudade daqueles momentos
Que desfrutamos e dos beijos
Que ainda guardo os sabores
Tinham gosto de fruta fresca
Misturadas com o licor de framboesa

Quando fito profundamente nos teus olhos
Percebo quão estão diferentes
Mas mesmo assim, não guardo mágoas,
Nem raiva e nem rancores
Por tudo que estou passando
Ainda tenho que passar
Na vida tudo passa, então creio que tu passarás.

Quando fito demoradamente em teu olhar
Percebo como fui tola e inconsequente por te amar

Sol Pereira

Um comentário:

  1. Obrigada querido,fico feliz por estar entre tantos poetas. Um beijo

    ResponderExcluir